O Brasão de Armas de Osasco

Por Ráriton Cassoli

Clique para ampliar

Um símbolo só tem legitimidade enquanto sua forma e conteúdo estiverem integralmente respeitados. Assim, qualquer alteração arbitrária ou leviana dos seus elementos formais constitutivos, como figura, cor, movimento ou som, comprometerá o seu significado, reduzindo a sua capacidade de representação cabal.

Simbologia

O símbolo osasquense foi elaborado em uma época em que os conhecimentos de heráldica - a ciência que estuda os brasões - eram pouco difundidos.

Por este motivo, o Brasão de Armas de Osasco, mesmo tendo sido idealizado com o necessário respeito à exatidão histórica e ao mais puro sentimento de amor pela cidade, ressentiu-se de algumas falhas quanto à técnica heráldica, principalmente no que diz respeito aos brasões municipais. O que, em hipótese alguma, desvaloriza este símbolo municipal, contrariamente, mostra a ousadia e coragem dos idealizadores de tal Brasão, cidadãos genuinamente osasquenses.

Concurso

O Brasão de Armas de Osasco foi concebido em 1969 através de um concurso aberto a qualquer munícipe, conforme previa a Lei Municipal nº 680 de 06 de outubro de 1967 alterada pela Lei nº 814 de 06 de fevereiro de 1969. O vencedor do concurso foi o Prof. Dr. Wallace Oliveira Guirelli.

No resultado final a comissão julgadora decidiu que o trabalho vencedor deveria sofrer uma alteração. Com a anuência do autor, assim foi feito. 

A coroa foi substituída pela constante no trabalho ganhador do 3º lugar, de autoria do Professor Alcyr Porciúncula, que havia introduzido em seu trabalho traços arquitetônicos significativos e peculiares a cidade de Osasco: as janelinhas em cruz representando o Primeiro Movimento Cooperativista de São Paulo.

Assim, estava instituído definitivamente o Brasão de Armas de Osasco.

Descrição Heráldica

O Brasão de Armas do Município de Osasco assim se descreve heráldica e oficialmente:

Escudo Semnítico: em campo de sinople, um fardo de ouro, aceso de goles posto em pala, brocante sobre um vôo de prata, e acompanhado, em Chefe, de duas cruzes de Santo Antônio, do mesmo, e, em ponta de duas rodas dentadas de ouro.

Coroa Mural: de prata, de oito torres ameadas e uma porta cada uma.

Divisa: "Osasco - Cidade Trabalho", de ouro em listel de sinople, brocante sobre a extremidade dos cabos dos martelos.

O propósito deste trabalho é ilustrar e descrever de forma sucinta e clara as características do Brasão de Armas de Osasco. Portanto, os termos técnicos e próprios da Heráldica serão substituídos por vocábulos que atendam a este propósito.

O Brasão

Abaixo descreve-se a simbologia do Brasão de Armas de Osasco, baseado em seu contexto histórico e na heráldica aplicada.

1 - COROA

A maioria dos brasões apresentam na parte superior do escudo, coroas murais que podem ter quatro, seis ou oito torres. Estas coroas servem para distinção entre aldeias, vilas e cidades, respectivamente. Suas cores podem ser ouro ou prata. A primeira serve para determinar que a cidade é uma capital de Estado, enquanto a segunda determina que a cidade não tem a grandeza de uma capital. A cidade de Osasco adotou em seu Brasão, um mural de oito torres em argento (prata), simbolizando a emancipação político-administrativa acontecida em 1962. Cinco torres estão aparentes e três ocultas. Em cada torre visualiza-se portas abertas, aclamando o caráter hospitaleiro do povo e da cidade osasquense. Tal fato pode ser comprovado através da história da ocupação do espaço urbano onde desde a formação da vila se encontram imigrantes de vários países. 

É possível notar na torre central uma janela em formato de cruz. Um traço arquitetônico próprio que representa o 1º Movimento Cooperativista realizado no Estado de São Paulo, que foi a criação da Cooperativa dos Vidreiros de Osasco. Um marco na história trabalhista do Estado.

2 - ESCUDO

O escudo é a parte principal de toda a figura que se vê no Brasão como um todo. Ele tem suas particularidades e, por ser a peça principal do brasão, detém uma série de significados através de sinais, cores e figuras que dão a ele características que identificam o município e sua história.
Entre todos os formatos admissíveis de escudo, o que melhor se aplica aos municípios paulistas é o ibérico, que foi amplamente utilizado e divulgado em Portugal à época do descobrimento e colonização do Brasil. Seria uma homenagem ao país colonizador, mas, no entanto, o modelo de escudo utilizado para o Brasão de Armas de Osasco, é modelo semnítico (*). Diferenciado do ibérico pela saliência inferior, em formato de bico, próxima ao listel - faixa abaixo do escudo - com a inscrição "Osasco - Cidade Trabalho". Uma característica singular do espaço geográfico que conhecemos como Osasco, são as suas singularidades no correr da sua história: uma vila formada por imigrantes italianos quando os brasileiros não vendiam terras aos "carcamanos"; bairro industrial de São Paulo quando o Brasil ainda era rural; movimento operário e estudantil que reivindicava direitos trabalhistas, quando o país vivia uma ditadura militar. Porém, o que dá ao contorno do Brasão o direito a sua singularidade é a luta dos moradores para que o bairro passasse a ser Cidade Trabalho. Em Osasco não bastou, como os demais municípios vizinhos, um simples plebiscito. Foram necessários dois pleitos para que o "Sim" à emancipação vencesse sobre os interesses dos poderosos que manipulavam o "Não".

O escudo semnítico (*) usado para representar o Brasão de Armas de Osasco, foi o primeiro estilo de escudo introduzido em Portugal por influência francesa, evocando aqui a raça latina colonizadora e principal formadora da nacionalidade brasileira. Outra vez, Osasco zela pelas suas singularidades e não deixa as novas gerações esquecerem que foi neste chão que o espanhol de nascimento, francês por parte de pai e russo por parte de mãe, Dimitri Sensaud de Lauvaud, autor do primeiro vôo com aeroplanos na América do Sul, saiu para o mundo tornando-se o mais brilhante inventor de tecnologias no começo do século passado. Foi através da busca de soluções das dificuldades na produção de materiais sanitários na Cerâmica Industrial de Osasco, que se tornou o inventor que o mundo reverenciou através da inscrição de seu nome no Museu do Homem em Paris.

3 - COR 

Segundo a Heráldica, os escudos devem ser revestidos por cores, metais, esmaltes ou peles. As cores nos escudos têm significados próprios e condizentes com as características do município. O escudo do Brasão de Armas de Osasco tem a cor verde (denominada sinopla ou esmeralda) com as seguintes representações: Esperança e fé, sentimentos que nortearam Antônio Agu na perspectiva da formação de um núcleo populacional; Vitória, Honra e abundância, simbolizando a vitória de um homem e de um povo honrado que pelo trabalho assíduo conquistou a abundância; Os campos verdejantes do período da Vila Osasco quando, a agricultura, pecuária e a indústria agrícola, hoje fábrica de divisas para a economia nacional, eram praticadas de forma efetiva e de vanguarda. 

4 - ARCHOTE

É o luzeiro em ouro com asas e chamas localizado ao centro do escudo. Tanto o archote quanto às asas e as chamas têm caráter histórico e são as peças de maior relevância no Brasão Municipal. Segundo a heráldica, o archote é o símbolo da ciência e do amor patriótico. Especificamente no caso do Brasão de Armas de Osasco, além da definição científica, o archote representa as ações verdadeiramente heróicas, travadas pelos autonomistas osasquenses durante o processo de emancipação, quando realizaram uma revolução democrática e respeitosa às leis. O ouro caracteriza o brilhantismo e a perspicácia empreendida nas lutas.

As chamas do archote também têm representação ideológica. Nela são infundidas as idéias de purificação e o ardor do movimento cívico que culminou com a emancipação. Heraldistas interpretam o halo de luz como o conhecimento e o saber. Desde os primórdios, o fogo e a tocha, foram símbolos de vida, de atividade, como também de manutenção de uma tradição viva. Os gregos utilizavam a tocha olímpica para acender a Pira, quando da realização dos Jogos Olímpicos, na antiga Grécia. Esta tradição foi mantida até os nossos dias. Muitos monumentos históricos mantêm uma pira incandescente ou uma tocha, tal como o Monumento da Proclamação da Independência do Brasil, às margens do riacho do lpiranga, na cidade de São Paulo, a Estátua da Liberdade, nos Estados Unidos da América e tantos outros espalhados pelo mundo, significando a memória ressuscitada de um fato histórico, a realização de um ideal.

As asas que prendem-se ao luzeiro, são de prata e têm significados diversos. O primeiro significado é histórico e diz respeito ao primeiro vôo realizado na América do Sul ocorrido no município de Osasco em 10 de janeiro de 1909. Em outro momento, as asas têm significação ideológica e trata de um sonho alcançado, o sonho da liberdade, o sonho de ser livre e poder seguir caminho próprio. O sonho social de deixar de ser bairro para ser cidade e crescer, expandir-se, tornar-se forte.

5 - TAU

Dois símbolos tau em prata esteticamente dispostos um em cada canto do escudo, representam a crença religiosa do povo de Osasco em seu padroeiro Santo Antônio. Ambas possuem ainda outra simbologia, uma lembra a antiga igreja de Santo Antônio e outra alude à atual Igreja Matriz.

O tau é a décima nona letra do alfabeto grego e última letra do alfabeto hebraico, também chamada Cruz de Santo Antônio. Sua forma representa a cruz, exatamente a que deu origem à cruz de Cristo antes de ser nela fixada a placa com a inscrição exigida por Pilatos. Para os gauleses o tau representava o martelo do deus escandinavo Thor. Já era usada como significado simbólico pelos antigos egípcios, como a representação de um martelo de duas cabeças, o sinal daquele que faz cumprir. 

A religião explica o tau, pela semelhança com a cruz, como sinal de verdadeira fé em Jesus Cristo Crucificado. 

São Francisco, devotíssimo da Santa Cruz, adotou o tau, e o recomendava por palavras e por escrito de próprio punho nas cartas que enviava, usando-o como forma de benção. 

Ao tau atribui-se a certeza da salvação, símbolo de esperança, conversão permanente e despojamento. Simboliza ainda, penitência, dos filhos de Deus, exigência de uma missão, e marca dos que respondem "sim" ao chamado de Deus para criar uma sociedade nova, com seus fundamentos no amor, na paz e no bem.

6 - RODAS DENTADAS EM OURO

Colocadas na parte inferior do escudo em linha com os taus. Representam o caráter industrial empreendido ao município, com suas poderosas indústrias - uma marca histórica e causa da riqueza da cidade de Osasco - e com os movimentos sociais de vanguarda. 

7 - MARTELOS

Fortalecem a idéia do trabalho pesado, eficaz e assíduo, exercido nas indústrias osasquenses.

8 - LISTEL

É a faixa abaixo do escudo, com fundo na cor verde (sinopla ou esmeralda) onde se lê "Osasco - Cidade Trabalho" na cor dourada. A frase é uma afirmação dos propósitos de um povo trabalhador e de uma cidade que labuta pelo engrandecimento da pátria.

Câmara Municipal de Osasco
Av. dos Autonomistas, 2607 - Centro - Osasco/SP - Brasil
CEP: 06090-905 - Fone: (11) 3699-9133 - E-Mail: qualidade@camaraosasco.sp.gov.br