OSASCO

Arquiteto na madrugada
Aqui uma outra cidade
Sem o alinho de Brasília
Nem o desalinho barroco
Mas cidade que adormecida
Não ouve meu acalanto
Arquiteto esta cidade
Onde um dia paineiras
Vestiram de rosa as saias
De um Tietê que morreu

Arquiteto esta cidade 
Onde foi nossa a rua
Onde no bolso a lua
Deslizou na madrugada
Arquiteto esta cidade
E de guizos calço calçadas
Pra quando por ela andarem
Os pobres e os poetas
Em tudo se escute música

Descerro nessa cidade
A nuvem de cinza e chumbo
E é sem cal e cimento
Que esta cidade invento
Ali azaléias
Solto pombos e gaivotas
E nela tento encontrar
Entre paralepípedos
Quem sabe um pau-brasil
Quem sabe o amigo morto

 

Risomar Fasanaro


Página elaborada pela Câmara Municipal de Osasco

Produção de Maurício Viel
e Mara Danusa

Apoio do Centro Universitário FIEO (CDHO) e Museu Histórico de Osasco